Depoimentos de participantes
de nossos eventos
Experiência Acumulativa de 14 e 15 de julho de 2017
Fotos dos Participantes
Anna_Mehoudar

 

Caro Marco Aurélio,
Bom dia,

A nossa Experiência Acumulativa continua ressoando... Foram dois dias de aprendizado intenso, e quero te agradecer a generosidade...
Sabemos que a transmissão é um dever ético de cada geração e você assume essa tarefa como poucos.
Você transmite suas experiências profissionais em diferentes contextos, entrelaçadas com teorizações consistentes acumuladas por anos a fio...

Os diferentes módulos de experiência e aprendizado e a síntese sensível do Nilton espelhava, a cada módulo, a formação de um grupo.
Depois de alguns dias entendo a Experiência Acumulativa como uma bússola no mar revolto das instituições e corporações.
Recomendo a imersão e sugiro encontros sistemáticos, mais curtos, para manter a chama acesa e incluir mais pessoas.

Anna Mehoudar
Psicanalista (SP)

Manoel_Teixeira

 


A experiência é marcante neste seminário, pois existem diversos tópicos que são explorados e baseados no livro: “A Operatividadade da Psicnalise Vivida por Enrique Jose Pichon Riviére” (que é a biografia, escrita pelo Marco Aurelio Fernandez Velloso e Marilucia Melo Meireles) que ministra e explora neste seminário a teoria de grupos e de vinculos criada por Pichon, onde se pode aplica em diversos grupos:( Familia, Educação, Institucional, entre outras) e nos permite fazer uma reflexão singular destes ambientes e dos nossos papéis e interação com os mesmos.

Embora o título não traduza plenamente o foco, pois foca em mal estar nas instituições, o que não deixa de ser verdade, porém eu diria que estamos falando de uma reflexão do nosso papel na instituição e vice-versa, tendo como referência à teoria dos vinculos e dos grupos, além de evidenciar também a questão do “Não falado” que é uma força que permeia todas os grupos.

Um dos pontos que considerei importante, existem vários, é a questão da coesão estimulando a coerção (Sistemas em Rede) ou a coerção estimulando a coesão (Sistema Hierárquico) que é o que acontece hoje, via mídias de relacionamentos e sendo permeado pela interpelação (Mediadores, Recursos Humanos, Sindicatos, etc…) que é a intermediação desta relação.

Enfim, temos uma integração de várias pessoas, que participam do seminário com experiencias e vivências distintas, mas que culmina em um grupo com resultados efetivos, onde temos “participantes”, em vez de “individuos”, segundo a teoria de grupo do Pichon, além dos exercícios de papéis nos grupos sendo alternado entre os mesmos para explorar os temas abertos que discutimos, após a parte teórica.

Manoel Teixeira (SP)
Profissional de TI

 

Regiane_Rocha


Enquanto consultora com atuação específica em condução de grupos foi excepcional a oportunidade de poder sair desse papel e literalmente sentar do outro lado da cadeira sendo participante dessa Experiência Acumulativa. Vivenciar a teoria transmitida à técnica dos Grupos Operativos levou-me a uma reflexão do meu papel enquanto integrante desse grupo mostrou-me  também que as diferenças podem e devem ser somadas, estabelecendo uma relação sinérgica e ética, transformando um grupo de indivíduos contribuindo com sua experiência pessoal em um grupo de participantes que em conjunto vivenciamos esse processo de aprendizagem construído pelo grupo.” 
Regiane Rocha
Psicóloga 
Consultora na Estação RH (SP)

 

Anna_Mehoudar


Marco Aurélio Velloso desenvolve no Interpsic um trabalho singular, de enorme relevância nos dias atuais.

Primeiro, porque ele ajuda pessoas a entenderem sua relação com as instituições onde trabalham.
E a formular estratégias de melhoria e evolução dessa relação.

Além disso ele ajuda as próprias instituições, organizações, empresas a modernizarem suas relações internas e
chegar a melhores resultados de convivência e desempenho. Identificando conflitos latentes e propondo acordos
de superação. Vínculos são criados e fortalecidos. O ambiente e a produtividade são naturalmente favorecidos
quando se dá novo sentido às ideias do fazer e do colaborar.

Por fim, ele também ajuda consultores especializados nos diversos aspectos da dinâmica empresarial: oferece um
instrumental sofisticado que combina as melhores práticas da administração com todo o conjunto de  conhecimento
da psique humana, de Freud a Pichon-Rivière e seus grupos operativos.

Sua consultoria ilumina o cenário laboral porque identifica a dimensão psicológica das zonas de conflito.
E, ao invés de negá-la, mobiliza esse aparato sensível e cuidadoso para clarificar e superar impasses, dando a eles
evolução produtiva e fértil.

O mundo do trabalho se torna menos insípido ao reconhecer sua dimensão humana. O fazer ganha propósito,
relevância e legitimidade.

Fui beneficiado pessoalmente pelo talento de Marco Aurélio Velloso e pelo trabalho da Interpsic.

Melhorei como profissional. Minha empresa melhorou e encontrou seu rumo. E meu trabalho de consultor bebe
dessa fonte com resultados palpáveis para meus clientes.

Sérgio Guardado - Sutil Design  (SP)

 

Experiência Acumulativa de maio de 2017
Fotos dos Participantes
Claudio_Yusta

 

O domínio conceitual, rigor metodológico e honestidade intelectual dos professores revelam uma visão de mundo e uma proposta de transformação que nos convida a refletir em torno da pertinência de estabelecer uma novo contrato social ancorado numa ética da convivência que tem como valores essenciais o respeito por si próprio e o respeito pelo outro.

Claudio Yusta
Sócio-Diretor
Salamandra Consultoria (SP)



Regina_Cavour

 


Experiência acumulativa : "O mal estar nas instituições,hoje"
Essa experiência grupal constou de aulas teóricas dadas com muita clareza e objetividade seguida a vivência em grupo operativo onde as informações, através da troca, se transformam em conhecimento num processo de elaboração enriquecido pela pratica profissional de cada participante . Para mim,esse é o diferencial que provoca transformação.
As lentes teóricas me levaram a uma compreensão do contexto atual em que estamos inseridos. E pude perceber no retorno ao meu trabalho o quanto tinha aprendido, pois constatei claramente uma renovação em minhas intervenções, o que significa uma renovação, saindo de um círculo vicioso que tanto nos impede de sermos criativos e operativos em nossas relações profissionais.
Sou grata à equipe do Interpsic.
Regina Cavour (RJ)
Psicóloga